segunda-feira, 16 de julho de 2018

Pormenores do castelo


 
 
 


Santarém

Como é bom visitar o Alentejo!!


O Alentejo, visitado por alguém que leve consigo a capacidade emotiva e compreensiva de um verdadeiro curioso, é um Sésamo que se abre.

TORGA, Miguel, Portugal, Alfragide, 10.ª edição, Leya,2015, p. 88.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Não escolhas viúvos!

Os viúvos também são má escolha, sempre foram, porque as pessoas com quem viveram e tantas vezes os chagaram, são santificados postumamente, de modo que toda a comparação sai derrotada.

FERRO, Rita, Só se morre uma vez - Diário 2, Alfragide, D. Quixote, 2015, p.99.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Teatro Curvo Semedo

Grande sala de espetáculos do século XX, projetada por Raul Lino. Construída para substituir o Teatro Montemorense, que foi destruído por um incêndio em 1922. É uma infraestrutura municipal, utilizada para sessões de cinema, teatro, dança e concertos.

Fonte:  http://www.cm-montemornovo.pt/pt/site-viver/cultura/Paginas/Cineteatro-Curvo-Semedo.aspx

O amor e o abraço

... o amor tem fome de tempo. Não basta um beijo quando se está sedento de mil. Pouco importa um breve abraço quando a vida só faz sentido dentro desse abraço. Tocar o corpo desnudado do outro obriga a transformar o tempo em eternidade.

FLORES, Francisco Moita, O Mensageiro do rei, Alfragide, Casa das Letras, 2017, p.118.

domingo, 17 de junho de 2018

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Puxador angelical

Odemira

O Amor não é uma descoberta de alquimistas

O amor  não é uma descoberta de alquimistas. Não foi Eros que inventou o amor. Fomos nós. Construímos caminhos, vamos por eles, lado a lado, vencendo obstáculos, vencendo dificuldades, entregando-nos um ao outro  nas coisas mais banais. Ficamos felizes pelas vitórias do outro, solidários na mágoa, sempre inteiros na dádiva. Respondemos com um abraço ao abraço, com um afago à lágrima, com um beijo à alegria. E continuamos assim, sem parar. É esta a construção do verdadeiro amor. Crescer quando o outro cresce, partilhar o sofrimento quando a caminhada dói mais, não deixar que nenhum caia, apoiando-se quando vergam para voltar a endireitar a coluna e andar mais, amar mais, até à entrega final e definitiva, quando de tanto viver e de tanto amar só resta cinza. Somos cinza da mais extraordinária fogueira, feita de chamas cadentes, que deu sentido à vida.

FLORES, Francisco Moita, Mataram o Sidónio!, Alfragide, Leya, 2014, p. 180.

Fernando Pessoa e Mário Cesariny

Que Fernando Pessoa é um grande poeta. Viajou sempre em primeira classe, mesmo quando estava parado. (...)

Assim como a Poesia não é para um par de sapatos, assim Fernando Pessoa não é para todos os dias. Não consta, porém, que Pessoa haja querido monopolizar os dias. Se déssemos a Pessoa os dias que ele tem, faríamos como ele - e até podíamos, como ele, ser grandes, com muitos dias para ele e para muitos de nós, seus iguais num desastre

Que não convém nomear.


CESARINY, Mário, As Mãos na água, a cabeça no mar, Assírio & Alvim - Porto Editora, 3.ª edição, Porto, 2015, p.28.

terça-feira, 12 de junho de 2018

Idade do email e sms

... és da idade do email e do sms ... Não tens história de vida na cabeça. É tudo electrónico. Foi no que deu esta revolução cibernética. Deixou a malta nova sem miolos. Sobretudo sem alma e com a memória guardada no computador. Já não falam com a boca. Falam com os dedos, enviando mensagens por telemóvel, e um país que fala com os dedos tem os dias contados.

FLORES, Francisco Moita, O Mensageiro do rei, Alfragide, Casa das Letras, 2017, p. 107.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Redondo




Redondo é uma vila portuguesa, no Distrito de Évora, no Alentejo, morando aqui 5 733 habitantes (2012). É sede de um município com 369,51 km² de área, que é limitado a norte pelos municípios de Estremoz e de Borba, a leste por Vila Viçosa e Alandroal, a sueste por Reguengos de Monsaraz e a oeste por Évora.

Fonte: Wikipédia.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Castelo de Terena

O Castelo de Terena, no Alentejo, localiza-se na povoação e freguesia de mesmo nome, concelho de Alandroal, distrito de Évora, em Portugal.
Em posição dominante no alto de um monte, integrou a linha de defesa do rio Guadiana, juntamente com os castelos de Juromenha, Alandroal, Monsaraz e Mourão.

Fonte: Wikipédia

terça-feira, 22 de maio de 2018

Como há coisas sem idade nem tempo

... a grande literatura não tem idade nem tempo, é eterna e sempre moderna, no sentido em que, cem anos depois de um grande livro ter sido escrito, ele é tão actual como era então. E vice-versa, o que hoje é um grande livro acabado de publicar, sê-lo-ia também há cem anos.

TAVARES, Miguel Sousa, Não se encontra o que se procura, Lisboa, 2.ª edição, 2015, p. 257.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Morte




Após algumas semanas de silêncio, Francisco de Assis acrescenta simplesmente uma frase, uma frase deslumbrante, luz duma língua atada ao silêncio. Louvado sejas pela nossa irmã, a morte.
BOBIN, Christian, Francisco e o Pequenino, Braga, Editorial A.O., 2013, p.104.

O sofrimento

O sofrimento tem uma virtude. Ensina-nos a saborear os momentos mais felizes, ensina-nos a procurar a felicidade, afastando-nos dele. Ninguém quer sofrer, todos os homens e mulheres aspiram à felicidade. Ninguém quer sobreviver apenas à tragédia e à mágoa. O nosso pranto perante a morte daqueles que amámos não é suficiente para que a felicidade possa ser o outro lado do sofrimento. Assim como o amor não é o inverso do ódio, nem a paz a parte contrária da guerra. 

FLORES, Francisco Moita, Mataram o Sidónio!, Alfragide, Leya, 2014, pp. 286-287.

Como são breves os dias

Como são doces, mas breves, os dias passados pelos irmãos e pelas irmãs durante as suas juventudes, reunidos sob a égide de seus velhos parentes! A família do homem dura apenas um dia. O sopro divino dispersa-a como fumo. Mal se chegam a conhecer, os filhos aos pais, o pai aos filhos, a irmã ao irmão! O carvalho vê germinar as landes à sua volta, mas não acontece o mesmo aos filhos dos homens!

CHATEAUBRIAND, François, René, Atala - René, Lisboa, Editorial Verbo, 1972, p. 114.

domingo, 6 de maio de 2018

Amor de mãe




As mães amam os filhos de maneira insensanta. As mães não sabem amar senão desta maneira insensata. Têm os seus filhos no centro do mundo e têm o mundo no centro do seu coração.
BOBIN, Christian, Francisco e o Pequenino, Braga, Editorial A.O., 2013, pp.92-93.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

O antigo regime castrou a força moral dos Portugueses




É um acto assente que o antigo regime castrou a força moral dos Portugueses, moldou a sua sensibilidade num medo permanente. E , se quisermos passar a barreira da ignorância, para já, temos de  dar oportunidades aos outros, forçar o destino que nos manieta desde os Descobrimentos, e nos pôs nesta passiva obstinação de um sebastianismo ignóbil. 


SILVA, Antunes da, Suão, Livros Horizonte, Lisboa, 7.ª Edição, 1985, p. 138.