sábado, 31 de agosto de 2013

Religião




Respeito a religião, bem o sabes, sei que é um cajado para quem cai de fadiga, um refresco para aquele a quem a sede consome. Simplesmente… poderá ela ser assim para todos? 


GOETHE, J. W., Werther, Editorial Verbo, Lisboa, s.d.,p.128.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

A Ria de Alvor ria ao fim do dia

 



Não consigo resistir...

 
É uma tentação estes crepes... Um Verão não é Verão se não comer um crepe na Bela Itália em Portimão. Aconselho a relaxar na Casa Inglesa e a gulosear enquanto se admira a pacatez do rio Arade!

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Ofício de romancista




Neste ofício de romancista, ou se sabe tudo da vida alheia, ou não se escreve nada. 

CASTELO BRANCO, Camilo, A Mulher Fatal, s.l., Circulo de Leitores, 1990, p. 43.

Eucalipto

Do grego, eu + καλύπτω = "verdadeira cobertura") é a designação vulgar das várias espécies vegetais do género Eucalyptus, ainda que o nome se aplique a outros géneros de mirtáceas, nomeadamente dos géneros Corymbia e Angophora. São, em termos gerais, árvores e, em alguns raros casos, arbustos, nativas da Oceania, onde constituem, de longe o género dominante da flora. O género inclui mais de 700 espécies, quase todas originárias da Austrália, existindo apenas um pequeno número de espécies próprias dos territórios vizinhos da Nova Guiné e Indonésia, e mais uma espécie (a mais setentrional) no sul das Filipinas. Adaptados a praticamente todas as condições climáticas, os eucaliptos caracterizam a paisagem da Oceania de uma forma que não é comparável a qualquer outra espécie, noutro continente. A primeira descrição botânica do género foi da responsabilidade do botânico francês Charles Louis L'Héritier de Brutelle, em 1788. O nome do seu género, que poderia ser traduzido do grego como "boa cobertura" faz referência à capa ou opérculo que cobre os órgãos reprodutores da flor, até que cai e os deixa a descoberto. Este opérculo é formado por pétalas modificadas. De facto, o poder atractivo da sua flor deve-se à exuberante colecção de estames que cada uma apresenta, e não às pétalas, como acontece com muitas plantas. Os frutos são lenhosos, de forma vagamente cónica, contendo válvulas que se abrem para libertar as sementes. As flores e os frutos do eucalipto são, de facto uvas.
Quase todos os eucaliptos têm folhagem persistente, ainda que algumas espécies tropicais percam as suas folhas no final da época seca. Tal como outras mirtáceas, as folhas de eucalipto estão cobertas de glândulas que segregam óleo - este género botânico é, aliás, pródigo na sua produção. Muitas espécies apresentam, ainda dimorfismo foliar. Existem várias espécies, como a Eucalyptus melanophloia e a Eucalyptus setosa que mantêm a forma juvenil ao longo da sua vida. As folhas adultas da maioria das espécies, bem como, em alguns casos, as folhas juvenis, são iguais nas duas páginas do limbo, não existindo a habitual distinção, nas folhas, de página superior e página inferior. A maior parte das espécies não floresce enquanto a folhagem adulta não aparece. A Eucalyptus cinerea e a Eucalyptus perriniana constituem duas das raras excepções.
FONTE Wikipédia.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

As cores de Bruges


Roterdão








Roterdão  é a segunda maior e mais importante cidade dos Países Baixos. Sede do maior porto marítimo da Europa possuí cerca de 617 347 habitantes (dados de 2012). Está situada às margens do rio Nieuwe Maas e é a capital da província da Holanda do Sul.

O nome "Rotterdam" é derivado de uma represa (dam) em um pequeno rio, o Rotte, que se junta ao Nieuwe Maas no local onde a cidade foi fundada. Roterdão destacou-se como notável centro de transporte marítimo no final do século XVII, durante o período conhecido como a Idade de Ouro neerlandesa. A cidade, que se beneficiou de todo o tráfego marítimo associado ao comércio das Índias Orientais Neerlandesas, ampliou suas instalações portuárias e estendeu-se ao longo do rio Nieuwe Maas.
Fonte: wikipédia

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

JANELA DE STO. ANTÃO

ÉVORA

ÍCARO



Todos os verões a zona riberinha de Portimão é embelezada com esculturas de artistas internacionais, algo que já vem sendo uma tradição, como se comprova com esta peça exposta no Verão de 2011.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

VLISSINGEN




Cidade localizada no sudoeste dos Países Baixos, na ilha de Walcheren entre o rio Escalda e o Mar do Norte.

FONTE: WIKIPÉDIA

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Visualizações IV

à claridade sóbria
insistente e velada
o cargueiro deslisa
e o nada
do pequenino ponto
que vai ser
pontilha a face lisa
da enseada (...)

CESARINY, Mário, Manual de Prestidigitação, Assírio e Alvim, Lisboa, 1980, p. 52.

Barcos e barquinhos










Vlissingen