segunda-feira, 31 de agosto de 2015

sábado, 29 de agosto de 2015

Encantar o encantador...


Encantador. Sim, bem sei, esta é outra daquelas palavras que de tanto serem mal utilizadas perderam a força. Tentem então, por favor, pensar nela como era no princípio – uma palavra do domínio das artes mágicas. Encantar é o nome que se dá ao acto de lançar um feitiço: assim como um pescador lança a rede à água, um mago lança o seu encanto às almas, e às vezes com idênticos gestos.

AGUALUSA, José Eduardo, Um estranho em Goa, 5.ª edição, Lisboa, Cotovia – Fundação Oriente, 2006, p. 153.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Ria de Aveiro

A Ria de Aveiro ou Delta do Vouga estende-se pelo interior, paralelamente ao mar, numa distância de 45 quilómetros e com uma largura máxima de 11 quilómetros, no sentido Este-Oeste de Ovar a Mira.
A ria é o resultado do recuo do mar, com a formação de cordões litorais que, a partir do século XVI, formaram uma lagoa que constitui um dos mais importantes e belos acidentes hidrográficos da costa portuguesa.

Abarca onze mil hectares, dos quais seis mil estão permanentemente alagados, desdobra-se em quatro importantes canais ramificados em esteiros que circundam inúmeras ilhotas. Nela desaguam o rio Vouga, o Antuã, o Boco e o Fontão, tendo como única comunicação com o mar um canal que corta o cordão litoral entre a Barra e São Jacinto, permitindo o acesso ao Porto de Aveiro, de embarcações de grande calado.

Fonte: Wikipédia

Fernando Pessoa

Numa das salas do Tribunal Europeu de Justiça, no Luxemburgo, intitulada Fernando Pessoa, existem tapeçarias de Portalegre com a figura do maior poeta português - Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935) que também foi filósofo e escritor português.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Pontas de beirais

 


Nos beirais de muitas casas de Évora encontramos uma decoração feita com pontas de ferro, talvez de inspiração oriental. De formas diversas dão uma leveza ao telhado, mas é visível a sua fragilidade por algumas não terem resistido ao tempo. Estas imagens são de telhados na Rua dos Mercadores.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Quem bem quer


Das culpas que alguém dá a quem bem quer, sempre lhe ficam as penas delas: e traz razão, que não vos quereria eu a vós bem, se vos eu o pior desse. Mas antes me espanto ainda de quem quer bem como pode culpar a quem o quer, senão que torno a dizer eu que fazem isto pela pena que lhes fica


RIBEIRO, Bernardim, Menina e moça, Lisboa, Editorial Verbo, 1972, p. 100.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Vives como um condenado?




A tua toda vida dependeu apenas da tua vontade, e tu fugiste-lhe a todos os momentos. Preferiste a tua reclusão, e escolheste o desespero em vez de reconstruíres o mundo em teu redor. Não tens um único amigo e não conheces ninguém. Vives como um condenado… 

TORDO, João, O livro dos homens sem luz, Lisboa, Temas e Debates, 2004,  p 68.




Telhados de Évora

 





segunda-feira, 10 de agosto de 2015

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Autódromo Internacional do Algarve, Portimão





 









 O Autódromo Internacional do Algarve, o Circuito de Portimão, é um circuito de corridas de 4,692 km (2,916 mi) localizado no concelho de Portimão, no Algarve, em Portugal. Situa-se a cerca de 16 km do centro de Portimão, na freguesia da Mexilhoeira Grande. Com um custo total de 195 milhões de Euros (aproximadamente 250 milhões de dólares), o projecto incluiu uma pista de karting, uma pista off-road, um parque tecnológico, um hotel de cinco estrelas, um complexo desportivo e apartamentos.

A construção ficou concluída em Outubro de 2008 e o circuito foi homologado pela F.I.M a 11 de Outubro de 2008 e pela FIA dois dias depois.


Fonte: Wikipédia.

domingo, 2 de agosto de 2015

Edifício da Guarda Fiscal de Portimão












Um dos poucos edifícios nobres do século XIX existentes, nos dias de hoje, no centro de Portimão.

Ria de Alvor




Património natural da freguesia e do Algarve é a mais importante zona húmida do Barlavento e constitui um estuário de grande interesse ecológico, paisagístico e económico, sendo excelente para visionamento de aves migratórias. Rio de Alvor – Nasce na serra de Monchique, tem 17 km de curso e termina na ria ou estuário, que penetra no mar.





Fonte: http://www.jf-alvor.pt/patrimonio