sábado, 4 de junho de 2011

O ACENDEDOR DE CANDEEIROS

(...) Ao menos o trabalho dele tem um sentido. (...)
Porque é que apagaste mesmo agora o teu candeeiro?
- Obedeço a Instruções! (...) Instruções são instruções! (...)
- Tenho uma profissão terrível. Dantes, ainda vá lá... Apagava o candeeiro de manhã e acendia-o à noite. Tinha o resto do dia para descansar e o resto da noite para dormir (...)
Imagina que, de ano para ano, o planeta gira cada vez mais depressa e as instruções nunca mudam!

Segue-se a explicação da profissão desta personagem:

O acendedor de candeeiros acende e apaga os candeeiros do seu planeta. Apesar de o principezinho considerar útil a sua ocupação, esta simboliza o absurdo, a inadaptação à mudança, o cumprimento de ordens sem questionar. Será esse o mal do nosso país?

FONTES:

SAINT-EXUPÉRY, Antoine de, O Principezinho, 19ª edição, Lisboa, Caravela, 1987, p.p. 49-50. e www.colegiodeportugal.pt

Sem comentários: