quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Relógio na catedral

 










Uma peça original e que proporciona uma experiência eclesiástica diferente, na Catedral de Estrasburgo. Através desta peça, sabemos se é dia ou de noite e até o signo do zodíaco da época.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Aveiro







   









Uma cidade linda para visitar, só tive pena de estar tão pouco tempo nesta zona (nem sempre as excursões são vantajosas...)

sábado, 26 de setembro de 2015

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Casa Bentes



Uma casa resistente à mudança urbanística devido à pressão turística na Praia da Rocha. 
Um bem-haja aos seus proprietários pela sua conservação!

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Roubo do Assasínio do Aqueduto

- Roubou uma chave que lhe dá a passagem quando lhe apetece, fica de vigia num lanternim e, quando acha que tem otário, ataca mesmo à bruta.
- O raio do galego é filho de uma bruxa! (...)
-Diz antes que é filho do Diabo. o povo que por ali passa a caminho de Lisboa nem dá por ele. roubou uma mulherzita que ia vender duas galinhas, Digo-te. Nem gritou (...) Roubou-a e, com um solavanco mais rápido do que um relâmpago, atirou-a pela janela do lanternim.

FLORES, Francisco Moita, Segredos de amor e sangue, Alfragide, 2.ª edição, Casa das Letras, 2014, p. 74.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Caravela Portuguesa


A Caravela Portuguesa teve origem no povo Árabe devido às embarcações pesqueiras no sul de Portugal. O primeiro documento onde aparece o nome caravela é o foral de Vila Nova de Gaia dado pelo rei D. Afonso III em 1255. No Museu da Marinha, em Lisboa, encontramos uma réplica em miniatura desta embarcação que levou os portugueses bem longe nos Descobrimentos.

Os aperfeiçoamentos técnicos feitos neste tipo de embarcação, devido à experiência de navegação dos Portugueses, fizeram que as caravelas, no século XV, fossem utilizadas nas viagens marítimas dos descobrimentos Portugueses, sobretudo ao longo da costa africana.

No início das explorações, os Portugueses utilizavam caravelas latinas, que eram um tipo de barco resistente, ligeiro e rápido, ideal para percorrer longas distâncias. Os mais pequenos tinham dois mastros e os maiores três mastros, mas a forma das suas velas era triangular, o que lhes permitia navegar com ventos desfavoráveis.

Caravela Portuguesa latina com dois mastros Caravela Portuguesa Latina com três mastros.Com o passar do tempo, as viagens tornaram-se cada vez mais longas. Assim, as caravelas precisavam de mais espaço para acomodar tripulação e mantimentos. Por isso, no século XVI, o barco seria de maior porte e com mais um mastro. Chamava-se Caravela redonda, porque além de ter velas latinas, tinham velas quadrangulares. Estas velas faziam aproveitar melhor o vento a favor ganhando velocidade.

Gaivotas na areia

Praia da Rocha

PORTIMÃO E O RIO

 

Schuerberfouer






Uma feira mais antiga que o próprio país do Luxemburgo mas que por isso não deixa de ter vida e animar a cidade do Luxemburgo no mês de Setembro! Em 2013 foi a minha primeira visita!!